#MomentoSérie: O Final de Dawson's Creek



Como falar de uma série que acabou com meu psicológico? Dawson’s Creek foi uma surpresa na minha vida.
Tenho que agradecer a MTV por ter me apresentado a melhor série do fim dos anos 90. Apesar que não tive paciência de acompanhar com a MTV- e ainda bem, porque eles pararam de passar na 6º temporada –, assisti lá apenas a 1º e 2º temporada, depois devorei as outras 4 baixando e assistindo compulsivamente.

Acompanhei toda a trajetória de Dawson, Joey, Pacey (meu personagem preferido), Jane (minha outra personagem preferida), Andy (que saiu na 4º temporada, infelizmente, pois gostava muuuito dela) e Jack. Fiquei tão apegada a eles, que quando acabou me deu um desespero por não poder mais vê-los. Foi esquisito.
Terminei os episódios 23-24 da 6º temporada no dia 04 de Março – e só criei coragem de escrever agora, um mês depois –, sai do meu quarto com os olhos inchados de tanto chorar.
Não sei se tem gente que estava assistindo a série na MTV ou está assistindo ainda, ou nunca assistiu, então, só pra avisar, daqui em diante conterá vários spoilers dos episódios.

Os dois últimos episódios frisou bastante com quem a Joey ia ficar no final: Dawson, sua alma gêmea ou Pacey, o amigo que se tornou conforme o tempo um amor.
Juro que a Joey era uma personagem que acabava com a minha sanidade! Eu até gostava dela de início, mas ai ficava louca com ela e depois sentia pena, depois ela me cativava de novo pra logo em seguida, me irritar novamente. Em relação à homens, Joey me irritava grandemente, ela chegava ser pior que a Jane – já que era ela que tinha fama de dormir com vários carinhas – se eu fosse mencionar todos os carinhas que a Joey saiu e dormiu aqui, formaria um livro online. Sério, isso me irritava. Ela enrolava o Dawson e o Pacey e nos últimos episódios foi o que ela fez.
O final dela foi o melhor de todos. (O dono da série com certeza tinha um amor surreal por essa personagem.)
Joey acaba se formando, morando em Nova York e se torna revisadora de livro em uma grande editora.
 Eu já sabia com quem ela iria ficar a partir do episódio 15, quando o Pacey e a Joey ficam presos no supermercado. Pacey mexia muito com ela. E foi o que aconteceu, eles acabam ficando juntos. (Apesar que eu queria que o Pacey ficasse com a Andy, mas me conformei.)
Pacey, seu final foi bem a cara dele. Ele acaba voltando pra Capeside e abre um restaurante super maneiro.
O que me deixou na dúvida, foi: eles ficaram juntos – Joey e Pacey –, e na última cena, quando mostra com quem a Joey fica, eles estão no sofá da casa da Joey em Nova York, então não mostra se o Pacey largou tudo em Capeside ou, sei lá, ele foi ficar com ela num fim de semana. Ficou a desejar esses detalhes, já que era o Grande Final.


Dawson ficou tão envolvido com a sua carreira no cinema, que acabou deixando Capeside meio de lado nos últimos dez anos. (No último episódio se passa dez anos e ele e a Joey voltam para Capeside para o casamento da Gail, mãe do Dawson.)
Na volta para cidade, Dawson fica mexido com a Joey, mas pelos acontecimentos a gente nota que a relação dos dois era uma coisa meio que impossível, sempre quando eles tentavam ficar juntos acontecia coisas e mais coisas impedindo de os dois ficarem juntos. Pra falar a verdade, eles ficavam melhores como amigos – e olha que eu torci muito para eles ficarem juntos nas primeiras temporadas.
O fim de Dawson me deixou perplexa, pois ficou no ar. Não dá pra saber ao certo o que aconteceu com ele. Simplesmente ele fica sozinho, com uma carreira ótima – pois ele conseguiu dirigir a sua própria série, que conta a história dele e de todos os seus amigos e sua relação complexa com a Joey –, e conseguiu ter o tão sonhado encontro com Spielberg, o que também fiquei indignada, porque não mostra o tão sonhado encontro.
A série ficou tão focada na Joey, que acho que esqueceram que a série se chamava Dawson’s Creek, não Joey’s Creek.


E para os que desejavam TANTO que Dawson e Joey ficassem juntos, o autor deu um gostinho para esses fãs do casal: colocando uma "cena extra" no episódio com o casamento deles dois. A cena não passa de um sonho que o Dawson tem, mas dá um gostinho e mostra como seria o tão desejado momento.


O fim do Jack, foi o que mais me surpreendeu e foi muito engraçado quando descobri! rs
Jack vira professor de história (se não me engano) em Capeside, e o mais surpreendente de tudo, namorando com o Doug irmão do Pacey – que sempre dizia que o Doug era um gay enrustido. É, o Pacey sempre esteve certo! hahaha


Já o fim que acabou comigo – e que achei tremendamente DESNECESSÁRIO – foi o tão final esperado de Jane. Como disse, ela era a minha preferida. Odiava quando a Jane não aparecia nos episódios, por mim, poderia ser ao contrário: Mais Jane, menos Joey! rs Mas, voltando...
Não mostra muito sobre ela, só que ela vivia em Nova York e teve uma filhinha, mas também não diz de quem é, só que ele abandonou ela.
No último episódio, Jane volta pra Capeside para o casamento de Gail e se encontra com a turma. Ela acaba mostrando que ficou meio que “amargurada” por ter sido abandonada pelo pai de sua filha. Juro que odiei, o fim dela. Ela não merecia um final assim.
 Depois de todas as desilusões que ela teve, nas duas últimas temporadas ficava desejando que ela ficasse com o Dawson, mas infelizmente isso não aconteceu.
Jane acaba morrendo. Sim, ela morre. Não lembro o nome da doença, mas era algo relacionado com o coração.
A cena dela com o Jack e a Vó no hospital e quando ela grava um vídeo para a filhinha dela recém nascida – para que mostrassem pra ela quando crescesse -  foi o auge das minhas lágrimas. Céus, foi terrível, eu soluçava! E pra ajudar ainda mais, a música que tocou na cena foi “In Arms of the Angel”, da Sarah McLaughlin. Essa música sempre me faz lembrar de momentos triste, mas mesmo assim, sou apaixonada por ela e por isso, a cena ACABOU COMIGO!

 

Não posso terminar sem dizer da pequena participação do meu lindo e perfeito Jensen Ackles (Dean Winchester, Supernatural)! Sim, Jensen participa da última temporada de Dawson's Creek interpretando C.J e é o namoradinho da Jen - que dá a entender, que era o pai que abandonou ela e a criança. Juro que todas as vezes que ele aparecia, me matava de rir hahaha Tão novinho *-*



Enfim, pra não se estender muito, uma palavra que define o final de Dawson’s Creek pra mim é: Agridoce. Apesar desse final – que teve seus altos e baixos –, a série me marcou do começo ao fim. Vai ser uma série que sempre vai ter um espaço enorme na minha memória e no meu coração.
Ela acabou e me deixou com uma ressaca do caramba... Eu queria mais! Haha
Estou morrendo de saudades...



Ai, ai... me despido com um tantinho de nostalgia...




Beijos ;*

Um comentário

  1. Nunca vi alguém se dar tão mal na vida como Dawson. Ele levou chifre da joy e jen. Levou um fora das duas... perdeu a mulher que amava pro melhor amigo.E foi a maior prova viva de falta de amor próprio que já vi. E a série é meio que autobiográfica. Então o cara de ferrou na vida real e ainda quis compartilhar com o planeta.

    ResponderExcluir